O prefeito Eduardo Braide (PSD), que já não era exatamente uma unanimidade, vê seu apoio popular inflado artificialmente por obras eleitoreiras e de pouco resultado efetivo se esvair com os problemas enfrentados pela população.


Na Educação, Braide não consegue fazer o básico, que é colocar as crianças ludovicenses na escola. O período de matrículas foi marcado e remarcado diversas vezes, mas nada dá jeito. A ineficiência da gestão educacional leva pais e responsáveis às redes sociais todos os dias, em cobranças duras e justas ao gestor.


O período chuvoso terminou por alagar a popularidade fake do prefeito. Os elogios e questionamentos sobre “se Braide almoçou ou jantou” foram substituídos por reclamações.


O asfalto, pintado, desbotou. Buracos e falhas se revelam aos montes. Sem o básico em saneamento, a água transforma avenidas inteiras em rios.


Dentro dos bairros, a chuva é pesadelo. Com água em suas casas, pessoas entram em desespero pelo temor de perderem o pouco que possuem, sem que a administração municipal olhe por elas:


Equipamentos públicos, como escolas e hospitais, padecem pela estrutura inócua. Maquiados apenas pela fora, transbordam inteiros por dentro, arriscando as vidas de quem deles dependem.


Enquanto continua acreditando na própria propaganda, Braide vai vendo seu personagem ruir a cada comentário negativo nas redes sociais.